Área do Associado

Consumidor desiste após 10 minutos tentando encontrar conteúdo OTT, aponta Nielsen



Consumidores decidem fazer outra coisa caso não encontrem o que assistir. Facilitar a busca é o melhor a fazer para não perder o cliente

Em seu mais recente Relatório de Audiência Total do primeiro trimestre de 2019, com base no último trimestre anterior, a Nielsen buscou identificar como os consumidores de vídeo e áudio decidem o que assistir em todas as plataformas. Nos Estados Unidos, o adulto médio leva pouco mais de 7,4 minutos para encontrar algo, enquanto os adultos entre 18 e 49 anos levam entre 8,4 e 9,4 minutos. Os adultos mais velhos abandonam a perseguição após 5 minutos. No geral, 21% dos usuários de serviços de streaming decidiram fazer outra coisa antes de encontrar um programa que interesse. 

O relatório também aponta que os adultos daquele país gastam 10 horas e 30 minutos em média por dia, conectados às mídias, a mesma quantidade de tempo de há um ano. Os mais velhos, entre 50 e 64 passam mais tempo no streaming que qualquer grupo etário pesquisado. Os usuários entre 18 e 34 anos são os que mais passam tempo conectados ao streaming, através do smartphone.  

O coordenador do estudo, Peter Katsingris, vice-presidente sênior da Nielsen, comenta que “ninguém ganha quando os potenciais consumidores ficam frustrados com a quantidade de opções, ou simplesmente opções desagradáveis, e decidem simplesmente ir dormir em vez disso”. Para ele, tornar a navegação e a busca por programas mais fácil para o consumidor é cada vez mais importante para os provedores de TV.

Segundo Katsingris, a localização de conteúdo, seja através de algoritmos de menu de streaming que oferecem opções baseadas em suas escolhas anteriores, além de promoções para novos programas, feeds de playlists de aplicativos de música digital ou até mesmo recomendações de amigos são cruciais para os consumidores em uma época em que eles são inundado com anúncios e conteúdo. “Por outro lado, esses mesmos consumidores estão se conectando a esse conteúdo fragmentado a taxas incomparáveis - bem mais de 11 horas por dia em telas e dispositivos. Por isso, nunca foi tão crítico para os provedores de conteúdo e profissionais de marketing reduzirem esta desordem identifica pelo estudo, e talvez até provocar alguma deslealdade para garantir que suas ofertas se destacassem de todo o resto.”

Alexandre Britto, presidente da Abott’s, define o cliente como o dono absoluto da decisão do que ele quer consumir, e facilitar a vida do usuário é mandatório para todos os provedores de serviços de streaming. “Observando os números deste relatório da Nielsen ficamos imaginando que os 10 minutos citados pode ser uma eternidade para a maioria dos consumidores. Já percebemos que a navegação entre um dispositivo e outro pode ser diferente, sendo mais fácil ou mais difícil encontrar o que se deseja só porque a tela de navegação é mais acessível dependendo da plataforma. Quem oferecer conteúdo tem que estar atento a este ‘detalhe”, enfatiza ele. 

Outros destaques do relatório:

- As recomendações dos amigos são a principal influência na hora de escolha do streaming de vídeo e áudio;
- Adultos negros passam quase 13 horas por dia em todas as mídias;
- O uso de aplicativos para dispositivos conectados à Internet / Smart TV apresentou o maior crescimento anual no terceiro trimestre de 2018;
- 92% dos adultos dos EUA ouvem rádio todas as semanas;
- vMVPDS (Virtual Multichannel Video Programming Distributor ) existe em 3,7% de todos os lares de TV em setembro de 2018;
- Ativação de Smart TV registra crescimento ano após ano para todas as raças e etnias.