Área do Associado

Consumidores ainda não estão prontos para cortar de vez a TV a cabo



Por este motivo, o número de assinantes de OTT terá crescimento tímido: 17% até 2024

Segundo pesquisa da Concentric, “O Futuro do Streaming Vídeo”, os pacotes de serviços de TV manterão participação de mercado maior porque os consumidores não estão prontos para cortar o cabo de TV. Por esta razão, o empacotamento (bundling) de serviços de OTT com outras ofertas continuará a dominar a participação de mercado e que o número de assinantes de OTT terá crescimento tímido: 17% até 2024.

Uma a simulação de mercado realizada pela Concentric aponta que que o cancelamento generalizado dos serviços de TV a cabo só ocorrerá se os provedores OTT integrarem com sucesso a entrega de conteúdo ao vivo, o que resultaria em 1 em cada 4 pessoas cortando o cabo até 2024.

"A maneira como consumimos conteúdo está mudando", comenta Dejan Duzevik, diretor de produtos e arquiteto de soluções de mídia e entretenimento da Concentric. “Os provedores OTT como Netflix, Amazon e Hulu estão gerando muito ruído sobre a morte de modelos tradicionais, tais como o cabo e broadcast . Mas os consumidores não vão cortar o fio assim que pensarmos. A simulação da indústria de TV da Concentric prevê que as assinaturas de OTT continuarão a crescer, mas o cabo está aqui para ficar - por enquanto. Em vez disso, veremos grandes mudanças nos provedores, à medida que o cabo, a transmissão, o OTT e o satélite evoluem para atender às demandas dos consumidores”.

O empacotamento de OTT com alternativas lineares, incluindo cabo, broadcast, satélite e serviços premium, terá a maior participação de mercado até 2024. O relatório da Concentric revela que o empacotamento continuará a dominar, porque nenhum fornecedor conseguiu entregar com sucesso a melhor experiência do cliente. De acordo com o relatório, o preço é o principal driver de assinatura, seguido por uma variedade de conteúdo, incluindo acesso a programação ao vivo e experiência do usuário.